Arquivo da categoria: Crônicas

Clarão lilás

O esforço para recriar o tom luminoso das cores que fulgiam aos meus olhos nessa noite, verdadeiras estrelas no auge do seu ânimo, o ressoar insistente do mar, um seguido d’outro, imagine seu ouvido envolvido pelo toque perolar duma concha … Continuar lendo

Imagem | Publicado em por | Deixe um comentário

Um abraço…

Abrimos mais uma vez esse espaço para Ítalo Rocha e seu verdadeiro abraço nesse amigo que se foi. JM. E se foi Eduardo Galeano. Apagou-se a chama de um foguinho que queimou tanto, que incendiou gerações e mais gerações, que … Continuar lendo

Imagem | Publicado em por | Deixe um comentário

Diário de campo. Capítulo 5.

Diário de campo: A vida por detrás do balcão. Capítulo 5. Curiosas são as vagas do destino. Eu, que noutras oportunidades inscrevi nesse diário minhas experiências por detrás de um balcão, a meia-luz cuidadosamente planejada e o brilho morno nos … Continuar lendo

Imagem | Publicado em por | Deixe um comentário

Ao amigo Paulo Mendes Campos

Como lamento Paulo Mendes Campos, não ser no seu tempo. Não me alongarei em devaneios românticos, ainda que seu tempo os inspire. Há uma ou outra coisa que só seu tempo me permitiria, Paulo Mendes. A primeira: dar-lhe um fraterno, … Continuar lendo

Imagem | Publicado em por | Deixe um comentário

Diário de campo. Capítulo 4.

Diário de campo: A vida por detrás do balcão. Capítulo 4. A manhã levantou luminosa e sem pressa. Cheguei em boa hora na cafeteria em que trabalho e logo que comecei a erguer as pesadas portas de ferro que a … Continuar lendo

Imagem | Publicado em por | Deixe um comentário

O “novo”

Abro o espaço cá para o cinema do nosso tempo nessa crônica de Ítalo Rocha. Olhos abertos. JM. ——————————————————- Em 1964, o cineasta Glauber Rocha realizou o filme que marcou época e repaginou a história do cinema brasileiro, “Deus e … Continuar lendo

Imagem | Publicado em por | Deixe um comentário

Sinto falta de todas as vidas que não tive

Sinto falta de todas as vidas que não tive. Esse pensamento veio a mim de repente, como uma epifania que soa familiar, como algo que meu inconsciente elaborava há tempos. Fiquei assim, um tempo ruminando a ideia, levando aqui e … Continuar lendo

Imagem | Publicado em por | Deixe um comentário

Diário de campo. Capítulo 3.

Diário de campo: A vida por de trás do balcão. Capítulo 3. Eu era um dos diversos que nunca havia ouvido falar de Bruno Schulz. A ignorância não é de toda vexatória: trata-se de um polonês, nascido há mais de … Continuar lendo

Imagem | Publicado em por | Deixe um comentário

Diário de campo. Capítulo 2.

Diário de campo: A vida por de trás do balcão. Capítulo 2. Até onde vasculho minha memória, não me recordo de momento algum em que ainda não fosse um apreciador do café e viciado na cafeína.  Nos tempos de colégio, … Continuar lendo

Imagem | Publicado em por | 1 Comentário

Reflexões sobre a solidão

Solidão. Uma palavra simples de escrever, difícil de descrever. O dicionário diz que é o estado do que está só, mas ao pensar sobre as infinitas formas possíveis de se estar só, entra-se na dificuldade descritiva a que me referi, … Continuar lendo

Imagem | Publicado em por | Deixe um comentário