Arquivo do mês: setembro 2018

Mortalha

que és tu, noturno ser cujo braço me enlaça tal véu que vem a descer um fardo que me abraça azedume das agruras repousa em pensamento e nas horas mais escuras volta a mim como tormento tento fuga sem efeito … Continuar lendo

Imagem | Publicado em por | Deixe um comentário