Revelação

A tarde escaldante punha-se
ao descanso. Estiquei as pernas
sobre a mesa, encostado à poltrona
vivia fabulosa estória. Busquei respiro.
Lá se achava, emoldurado pela janela.

Parado no ar – um beija-flor.

Miou o gato ao meu lado recostado.
O pássaro voou, voou revelador.
Nesse instantâneo, vislumbrei esse poema.

Joaquim Miguel, 2017.

Anúncios
Imagem | Esse post foi publicado em Poemas. Bookmark o link permanente.

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s